Facebook

Professor da ULBRA Cachoeira publica em periódico dos EUA

Publicado em 26/11/2014, por em Uncategorized.

O professor do Curso de Biologia da ULBRA Cachoeira do Sul, Lúcio Roberto Silva é coautor de um artigo recentemente aceito para publicação na revista Journal of South American Earth Sciences. O artigo intitulado “WACHHOLZ, A NEW EXQUISITE DINOSAUR-BEARING FOSSILIFEROUS SITE FROM THE UPPER TRIASSIC OF SOUTHERN BRAZIL”, trata da descrição de um novo sítio fossilífero encontrado em Agudo – RS. Neste sítio foram encontrados em 2012, três dinossauros completos e em excelente estado de preservação. O artigo teve como autor principal o mestrando do Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Animal da UFSM, Rodrigo Temp Müller.

Direito em Debate na ULBRA

Publicado em 26/11/2014, por em Uncategorized.

Ontem, 25.11, foi realizada a cerimônia de abertura do evento Direito em Debate no campus da ULBRA Cachoeira do Sul. Na ocasião ocorreu o lançamento do livro “Ensaios de Criminologia”, além oficinas temáticas e palestra com o dr. Raimar Machado, que abordou o tema “Interpretação e Aplicação do Direito Social”.

O evento se prolonga até o próximo dia 27, com palestras e oficinas temáticas. “O evento vem se consolidando como um dos maiores da unidade, sendo mais prestigiado a cada edição realizada”, comenta o coordenador do Curso de Direito da ULBRA Cachoeira do Sul, professor Daniel Dottes de Freitas.

Fóssil de 240 milhões de anos é encontrado

Publicado em 24/11/2014, por em Uncategorized.
No início do mês, uma equipe composta por pesquisadores da Universidade Luterana do Brasil e da Universidade Federal de Santa Maria realizaram de forma conjunta a descoberta de um fóssil de 240 milhões de anos (Período Triássico Médio). O achado ocorreu no município de Dona Francisca, região central do Estado do Rio Grande do Sul, conhecida como Quarta Colônia de Migração Italiana. O fóssil estava localizado na margem de um açude em uma propriedade particular.

O espécime encontrado pertence ao grupo dos Cinodontes que possuem como representantes atuais os mamíferos. Os cinodontes são conhecidos por sua semelhança anatômica com os cães, e apresentavam tamanho médio (aproximadamente 50 cm), porém, são conhecidos representantes do tamanho de camundongos ou de até 1,50 m de comprimento. O fóssil será coletado e encaminhado para o Centro de Apoio à Pesquisa Paleontológica da UFSM (CAPPA/UFSM) em São João do Polêsine, onde será submetido à fase de preparação, que consiste na remoção do sedimento que envolve os elementos ósseos. Após devidamente preparado o espécime poderá ser estudado em detalhes. A coleta conta com o apoio da Prefeitura de Dona Francisca-RS.

A importância da descoberta

Em 2009, no mesmo local uma equipe do laboratório de Paleontologia da Ulbra, descobriu um crânio atribuído a um gênero de cinodonte africano, chamado Luangwa. Nenhuma estrutura do restante do animal foi encontrada.

O novo achado possui um crânio fragmentado e muitas estruturas ósseas do restante do esqueleto, como por exemplo, escápulas, úmeros, fêmures, vértebras e outros elementos ainda não identificados. A existência do crânio vai permitir comparações com o espécime coletado em 2009. Se ambos forem da mesma espécie, isso vai aumentar substancialmente as informações anatômicas. Além disso, a ocorrência de um gênero africano em rochas do Rio Grande do Sul corrobora a existência da união de todas as massas continentais em um único supercontinente, conhecido como Pangeia.

A equipe

A equipe responsável pela descoberta é composta por:
– Sérgio Dias da Silva (Professor do Programa de Pós Graduação em Biodiversidade Animal da UFSM e Coordenador do CAPPA/UFSM).
– Lúcio Roberto da Silva (Pesquisador da Ulbra Cachoeira do Sul e Doutorando no Programa de Pós Graduação em Biodiversidade Animal da UFSM).
– Rodrigo Temp Müller (Mestrando no Programa de Pós Graduação em Biodiversidade Animal da UFSM).
– Jean Fernando Nunes (Mestrando no Programa de Pós Graduação em Biodiversidade Animal da UFSM).
– Eduardo Silva Nunes (Biólogo formado pela UFSM).

© ULBRA