Estimulação Precoce

Programa de Atenção as Famílias de Crianças Surdas

Responsáveis:

  • Professora Gladys Regina Fleck Titton
  • Psicóloga Thaís Enê Fagundes
  • Fonoaudióloga Andréa Dulor Finkler

O que é o Programa de Atenção as Famílias?

O programa visa atender às necessidades das famílias que descobrem ter um filho surdo e que tem interesse em ingressarem na Unidade de Ensino Especial Concórdia.

São atendidas crianças surdas em fase anterior à Educação Infantil e suas famílias, que necessitam de orientação nas áreas psicológicas, fonoaudiológicas e de convivência familiar.

A Importância da Intervenção na Surdez

A intervenção na surdez permite que a comunicação efetiva seja estabelecida o mais rápido possível, na modalidade de preferência desta criança, garantindo-lhe uma melhor integração familiar e social. A aquisição de uma base lingüística como a LIBRAS para o surdo favorece a aprendizagem de uma segunda língua, neste caso, o Português oral ou escrito.

A partir de que idade é possível procurar a escola para participar do programa?

A escola está preparada para receber crianças desde o momento do diagnóstico, em qualquer idade. Os pais serão orientados quanto aos aspectos fisiológicos e biopsicossociais da surdez, bem como ao acesso à educação, o que inicia com o contato com a língua que deve ser adquirida pela criança.

Como as crianças e as famílias serão estimuladas no Programa de Atenção as Famílias?

Estas crianças serão estimuladas ao usar próteses auditivas, e receberão estímulos para o desenvolvimento da linguagem oral e em sinais. Deve ficar claro que a modalidade escolhida depende das características da própria criança e da família, pois ambos os estímulos são oferecidos.

Os pais devem estar cientes de que deverão acompanhar seus filhos na aprendizagem da língua de sinais, se esta for a modalidade elegida pela família.

Busca-se, através da família, ao trazer o filho para o programa, criar vínculos sólidos entre esta e a escola e esta e seu próprio filho, pois a família é quem conduz a criança para a socialização. Além disso, os aspectos emocionais da família são avaliados e organizados.

Nesses encontros, as crianças têm contato com a futura professora, aprendem as rotinas do lanche, da fila, do banheiro, além de iniciar a separação da mãe gradativamente. Durante o programa, os pais propiciarão à criança surda oportunidades de aprendizagens comunicativas e interacionais, auxiliados por profissionais que buscam otimizar o potencial da criança através dela própria e da família.

Com que frequência a família deve vir à escola durante o programa?

Semanalmente as famílias vêm à escola, em alguns momentos as crianças entram em sala de aula e participam de atividades de rotina, mesmo sem estarem efetivamente matriculadas. Em outros momentos serão estimuladas pela fonoaudióloga, pela psicóloga e pela educadora de surdos, ou então participam das festividades da escola ou simplesmente brincam na pracinha com as crianças do Jardim A e B. A ideia é que, durante esses encontros, a escola conheça a família e lhe propicie conhecimentos sobre surdez, mas que também a família conheça a escola e possa fazer sua escolha com base nas vivências em ambiente de educação de surdos.

Colégio ULBRA Especial Concórdia - Av. Dr João Simplício Alves de Carvalho nº 600 - Jardim Ipiranga - 91260-360 - Porto Alegre/RS
Telefone: 51 3341.2039 · E-mail: